Limites e equívocos do conceito de acumulação fordista

desenvolvimento das forças produtivas e perpetuação das formas de produção arcaicas

  • Ronaldo Vielmi Fortes
Palavras-chave: acumulação capitalista, acumulação taylorista-fordista, maquinaria

Resumo

O artigo apresenta a crítica ao conceito de acumulação taylorista/fordista, demonstrando as distorções provocadas por tal noção na compreensão da dinâmica econômica transcorrida ao longo do século XX, particularmente nos EUA. Por meio desta crítica, busca-se demonstrar como tal abordagem dos processos de acumulação cria vícios conceituais que dificultam a análise dos processos de acumulação em vigor na atualidade.

Biografia do Autor

Ronaldo Vielmi Fortes

Professor Adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Publicado
2019-05-01