Defrontamo-nos atualmente com um retrocesso que se põe em vários planos da existência humano-social, e não apenas naquele que diz respeito à configuração político-jurídica-institucional. Retrocesso, sem perspectiva de solução no horizonte, que caracteriza não apenas o Brasil, a América Latina e formas societárias de sua igualha, mas que se apresenta de forma inegável pelo mundo afora. Temos pela frente – e o século XX o evidenciou com toda violência – um período de tragédias contínuas, de retrocessos que tenderão a inviabilizar cada vez mais qualquer passo que sinalize ou indique no horizonte visível algo como a emancipação humanosocial.

Publicado: 2016-04-01

Editorial

Dossiê

Depoimento